• Semifusa

UPA Justinópolis ganha "Bolinho" de presente

Agosto é aniversário de 12 anos do Bolinho, o personagem mais simpático de BH e quem ganhou o presente foi Ribeirão das Neves. Os grafiteiros Raquel Bolinho e Leonardo Snake presentearam a cidade com um lindo grafitti na Upa Justinópolis.


O Bolinho leva alegria e cor às ruas da cidade, já foi pintado nos mais diversos suportes urbanos, sempre incorporando personagens do mundo pop, dançando as músicas mais tocadas e brincando com os memes mais atuais, e com isso se tornou famoso no cenário da arte urbana.

Segundo Raquel Bolinho “Todo aniversário do personagem é o momento de relembrar o que aconteceu nesse tempo e também planejar os próximos anos do Bolinho, é emocionante porque o Bolinho era um projeto despretensioso, não imaginava trabalhar com ele e nem por tanto tempo assim e agora tudo na minha vida gira em torno do Bolinho. Eu fico feliz de relembrar as coisas legais que o Bolinho já fez e o objetivo é se programar para fazer mais”.

Sobre projetos futuros, Raquel Bolinho afirma “O projeto futuro do Bolinho é o mesmo de sempre, continuar pintando, espalhando o Bolinho pela cidade - esse é o ponto mais importante. E a ideia é diversificar a forma de fazer isso, seja em novos lugares, cidades, exposições, produtos e formatos.”



O Bolinho atualmente virou um símbolo da cidade, ganhou fãs tanto dentro do movimento do grafite quanto do público em geral. Os fãs vivem à caça dos Bolinhos pela cidade para tirar fotos, tem gente que tem até coleção de fotos com o personagem. E o sucesso com o público infantil cresce a cada dia, as crianças amam os Bolinhos. De acordo com uma seguidora “meu filho de 3 anos anda por BH procurando pelos Bolinhos, ele já ama e os reconhece”.

O Bolinho faz parte da memória afetiva do belo horizontino, sempre marca boas histórias e lembranças das ruas da cidade. Um seguidor enviou a seguinte mensagem: “O Bolinho me acompanhava sempre que voltava da aula, porque sempre via ele do caminho, com o passar do tempo fui notando que tinham vários na cidade toda e eram diferentes…hoje eu ando por aí caçando bolinhos, e eles me alegram, e sempre que vejo eles me sinto feliz e dou um sorriso”.

Como a arte urbana é sempre dinâmica, muitas pinturas são apagadas, muros derrubados e assim os bolinhos vão ficando na memória, mas o público nunca esquece. “Eu vi alguns bolinhos na rua onde não dava para parar o carro e descer e tirar foto. Mas um dia, um lindo dia eu achei o bolinho que existiu na avenida do Canal do Caiçara, eu parei o carro desci e atravessei correndo! Tirei uma foto com o bolinho drácula, um dos meus favoritos até hoje. Ele não durou muito tempo, pintaram o muro. Mas eu vi, vi de pertinho, eu tirei foto e vou lembrar dele para sempre”. Tem seguidores que mandam mensagens com denúncias sobre as pinturas apagadas e pedem outras, sugerem temas. A interação é muito grande.

Muitos educadores também utilizam o personagem como instrumento pedagógico nas suas aulas, além da temática das artes. “Eu dou aulas e o amor pelo Bolinho é tanto que sempre utilizo como plano de fundo para projetos com os alunos. Adoro trabalhar o sentimento de pertencimento, trabalhar a história e cultura de BH. E o Bolinho não pode ficar de fora. Agora tenho alunos procurando bolinhos e me contando quando acham um novo”.

No dia 25 haverá o lançamento, no canal do youtube do Bolinho, de um vídeo sobre a história desses doze anos do personagem e para finalizar as atividades, no dia 27 haverá a abertura da Mostra de Arte do Bolinho no espaço da Loja Nephew do Mercado Novo, com entrada gratuita para o público.

Mais informações Instagram: https://www.instagram.com/querobolinho Email: contato@querobolinho.com.br Youtube: quero bolinho graffiti

8 visualizações0 comentário