• Semifusa

Ribeirão das Trevas? O skate dando um "ollie" nas narrativas dominantes sobre Ribeirão das Neves

Por Rafaela Goltara


Ribeirão das Neves é uma cidade mineira com cerca de 334 mil habitantes e 60% da população autodeclarada negra. Idealizada pelo governo para ser a cidade-dormitório dos mais pobres que migraram em busca de trabalho quando Belo Horizonte tornou-se a capital do estado de Minas Gerais. Neves, como é mais conhecida, tornou-se também a cidade das penitenciárias. Num total de seis cadeias, inclui a primeira com gestão público-privada do Brasil e a primeira penitenciária modelo do país, inaugurada por Getúlio Vargas quando este era presidente. Constantemente alvo de notícias sobre violência e pobreza, a cidade também ficou conhecida pelo trocadilho “Ribeirão das Trevas” publicado no Diário Oficial do Estado e no site do Tribunal de Justiça de Minas Gerais Essa descrição pejorativa se tornou uma narrativa oficializada sobre o município e se impõe como uma barreira aos moradores da cidade, que sofrem com a estigmatização e exclusão social que ela acarreta. No entanto, a cidade destinada pelo poder público a ser sempre a mesma, abriga outras narrativas criadas por um coletivo de skatistas negros educadores: a Just Crew Skateboard. Que não apenas ocupou o coreto da Praça e a transformou em pista; mas que há 20 anos capacita os jovens nesta prática esportiva; os ensinando a construir seus próprios skates e obstáculos; e reconstruir suas identidades por meio da experiência da amizade, dando um ollie sobre as narrativas dominantes sobre si a sua cidade. Eles se tornaram educadores uns dos outros, da população e da cidade, ensinando olhares de luz em vez de trevas, e construindo a real possibilidade de uma Ribeirão das Neves. Esta dissertação de mestrado tem auxílio da bolsa CAPES e objetiva analisar como os jovens skatistas de Neves estão superando a narrativa das “trevas” e se tornando, à luz das leituras de Nilma Lino Gomes, um movimento skatista educador. Utilizando-se como metodologia a Etnografia da Imagem como Simpatia, investiga-se como eles contestam o estigma da cidade apresentando uma narrativa que valoriza a vida e as sociabilidades.


A apresentação da tese de mestrado será transmitida on-line no próximo dia 5 de Maio (Terça-feira), às 9h30. A apresentação será no canal do Youtube: https://youtu.be/vSJ-ucuq9PI

0 visualização
  • Ícone do Facebook Branco
  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Twitter Branco

Receba nossas atualizações